segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Como eu havia prometido.....


Conforme eu havia prometido, estarei a partir de hoje postando os textos maravilhosos deste cara simplesmente incrível :Flávio Gikovate, pioneiro da terapia sexual no Brasil e estudioso do amor, exorta mulheres e homens ao erotismo livre de falsas expectativas.
Quem é ele ?
Flávio Gikovate é médico formado pela USP no ano de 1966.
Desde 1967 trabalha como psicoterapeuta, tendo atendido mais de 8000 pacientes. Se dedica principalmente às técnicas breves de psicoterapia.
Em 1970 foi Assistente Clínico no "Institute of Psychiatry" da Universidade de Londres.
É autor de 25 livros sobre os aspectos principais dos conflitos íntimos das pessoas normais, especialmente os relacionados com a vida afetiva e sexual. Seus livros — alguns editados também em língua espanhola — já venderam mais de 600.000 exemplares ao longo dos últimos 30 anos.
Colaborador de várias revistas e jornais de grande circulação. Em particular, assinou uma coluna semanal sobre comportamento no jornal Folha de São Paulo, entre 1980 e 1984 e entre 1987 e 1999 uma página mensal na Revista "Claudia".
Participou como convidado de praticamente todos os programas da televisão brasileira. Entre 1991 e 1993, coordenou programas diários na Rede Bandeirantes de Televisão: numa primeira fase, o Canal Livre, ao qual se seguiu, Falando de Verdade.
Conferencista muito solicitado para as atividades dirigidas ao público em geral, bem como para os quadros gerenciais em empresas, para profissionais de psicologia e de várias especialidades médicas.

3 comentários:

Luciana disse...

Olá Vanessa, aqui é a Luciana do Caminho do Meio, adorei o seu espaço, o tema abordado é pouco explorado o que torna seu blog inovador.
Vou acompanhar as novidades sim!!

Um forte abraço!!

Anônimo disse...

Sempre inovando, né Vanessa?! Parabéns e grande abraço.
Júlio Cesar

Anônimo disse...

Esse é um tema que terá muita repercursão no decorrer desses anos malucos que ainda estão por vir. As pesoas estão perdendo ou não estão tendo tempo para dispor de energias para tal situação, acredito eu, que os terapeutas irão ter muito trabalho nesse sentido de orientação e encaminhamento de seus pacientes.
Esse assunto é novo, mas muito interessante e que muitas das pessoas que sofrem desse mal as vezes não sabem ou passam por não saber, aprendendo a conviver com a frieza e o "mais ou menos"......