sexta-feira, 11 de maio de 2007

Autohemoterapia


AUTOHEMOTERAPIA


Gente, sempre tem alguém me perguntando sobre a Autohemo, porque todos já sabem da minha peleja contra a Herpes que invadiu minha córnea e fez aquele estrago todo. Pois bem , vou explicar o que houve. Depois de peregrinar por tudo que é tipo de consultório oftalmológico, consultar os melhores especialistas, finalmnete encontrei o Dr Guilherme Kfouri que imediatamente detectou meu problema: herpes ocular, mas já era tarde, pois a córnea já tinha entrado no processo de "derretimento". Foi feito o primeiro transplante entramos com a medicação para combater a herpes. Infelizmente a doença voltou com força total e afetou a córnea tranplantada, a esta altura eu já estava usando um tubo de pomada Aciclovir por semana (uma bagatela de R$ 78,00 ) e mais 800mg de Aciclovir oral e mesmo assim com pouquíssimo resultado, a herpes apenas melhorava um pouco. Foi aí que me deram um cd sobre Autohemoterapia, assisti atentamnete,pesquisei sobre o assunto, criei coragem e fiz a primeira aplicação por conta própria, sem receita ou acompanhamento médico, fiz por absoluto desespero. Oito horas depois da primeira aplicação eu já não sentia mais dores e no outro dia a herpes simplesmente sumiu. Foi a primeira vez neste tempo todo que fiquei bem desta herpes. e a partir daí nunca mais tive a doença.Passei a fazer as aplicações semanalmente e hoje faço mensalmente, volto a repetir que fiz por conta própria e não estou aqui recomendando nada para nínguém. Resolvi passar o arquivo sobre a Autohemo, pois pode ser útil para outras pessoas como foi para mim.


Na Luz,

Vanêssa


Autohemoterapia

(Dr Luiz Moura)

Pra quem não sabe, a auto-hemoterapia é um recurso terapêutico de baixo custo, simples que se resume em retirar sangue de uma veia e aplicar no músculo, estimulando assim o Sistema Retículo-Endotelial, quadruplicando os macrófagos em todo organismo.A técnica é simples: retira-se o sangue de uma veia comumente da prega do cotovelo e aplica-se no músculo, braço ou nádega, sem nada acrescentar ao sangue. O volume retirado varia de 5ml à 20ml, dependendo da gravidade da doença a ser tratada. O sangue, tecido orgânico, em contato com o músculo, tecido extra-vascular, desencadeia uma reação de rejeição do mesmo, estimulando assim o S.R.E. A medula óssea produz mais monócitos que vão colonizar os tecidos orgânicos e recebem então a denominação de macrófagos. Antes da aplicação do sangue, em média a contagem dos macrófagos gira em torno de 5%. Após a aplicação a taxa sobe e ao fim de 8h chega a 22%. Durante 5 dias permanece entre 20 e 22% para voltar aos 5% ao fim de 7 dias a partir a aplicação da auto-hemoterapia. A volta aos 5% ocorre quando não há sangue no músculo.As doenças infecciosas, alérgicas, auto-imunes, os corpos estranhos como os cistos ovarianos, miomas, as obstruções de vasos sangüíneos são combatidas pelos macrófagos, que quadruplicados conseguem assim vencer estes estados patológicos ou pelo menos, abrandá-los. No caso particular das doenças auto-imunes a autoagressão decorrente da perversão do Sistema Imunológico é desviada para o sangue aplicado no músculo, melhorando assim o paciente.Os macrófagos aumentados em 22% no organismo, literalmente, devoram células mortas ou cancerígenas (neoplásicas), coágulos, placas de colesterol, aneurismas, inflamações, vírus, bactérias e/ou qualquer outro corpo estranho presente no organismo,promovendo uma "faxina" no mesmo.

12/01/2007Auto-hemoterapia: sangue que cura
Cynthia Morato eWagner Sarmento

O tratamento é antigo e simples. Foi empregado pela primeira vez em 1911, mas o auge da utilização ocorreu na década de 1940, quando passou a ser aproveitado para evitar doenças infecciosas. Os avanços médicos ofuscaram este método, porém, hoje, ele acena com a possibilidade de ser novamente posto em prática. Denominada auto-hemoterapia, a técnica consiste em retirar sangue de uma veia e injetá-lo nos músculos dos braços ou nádegas. Os defensores garantem que o processo aumenta a defesa do organismo.
“É uma técnica simples em que, mediante a retirada de sangue da veia e aplicação no músculo, se estimula o aumento dos macrófagos, que fazem a limpeza de tudo do organismo, das bactérias, dos vírus, das células cancerosas (chamadas de neoplásicas), fazem uma limpeza total. Elimina, inclusive, a fibrina, que é o sangue coagulado”. Assim, o clínico geral Luiz Moura, 81, explica, no DVD “Auto-hemoterapia: contribuição para a saúde”, como funciona a auto-hemoterapia, conduta que ele aplica há mais de 20 anos e que faz questão de divulgar pelo país.
O sangue é retirado no momento em que será aplicado no paciente e não recebe nenhum tratamento. A quantidade de sangue a ser aplicada depende da doença que deve ser tratada e pode variar de 5 mililitros a 20 mililitros. Cada braço só pode receber até 5 mililitros e cada nádega até 10 mililitros, segundo Luiz Moura. Quando o organismo recebe o sangue no músculo, o reconhece como um corpo estranho que é rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (conjunto de células que ajudam na formação do sangue e também nos mecanismos de defesa). Com isso, aumenta a produção dos macrófagos que tem taxa normal de 5% e, com a aplicação, sobre para 22% sua presença no organismo. Esta taxa mais alta permanece por cinco dias e começa a declinar novamente para os 5%, por isso, deve-se fazer uma nova aplicação após uma semana.
Um dos pioneiros na aplicação da auto-hemoterapia em Recife, o clínico geral Marcos Paiva, 60, revela que faz o tratamento em seus pacientes na sua clínica, a Saúde Center, em Água Fria. “Já venho com isso há mais ou menos quatro meses. O resultado, na prática, é excelente. Em alguns casos, como alergias e processos infecciosos, como acne, ela cura, em outras ela melhora as defesas orgânicas, pelo aumento dos macrófagos”, explica.
O médico recifense conta ainda que já conseguiu excelentes resultados. “Há dois meses recebi um paciente que tinha indicação da amputação de um dedo pois a pele estava necrosada. Depois de conversar com a família dele iniciei o tratamento com a auto-hemoterapia e fazendo curativos no dedo. Depois de dois meses dei alta a ele sem precisar amputar o dedo. Outro paciente meu tinha cirrose hepática em altíssimo grau. Além de alguns medicamentos, usei a auto-hemoterapia para aumentar suas defesas. Ele não andava nem 10 metros e agora anda até de bicicleta”, revela.
Paciente de Marcos Paiva, o advogado Marcus Vinícius, 47, diz que se curou de um princípio de artrite com as aplicações. “Não conseguia fechar completamente três dedos da mão, mas nem me importava com isso. Comecei a auto-hemoterapia como prevenção e, de repente, percebi que já fechava a mão normalmente. Minha mulher se curou de uma tosse alérgica e minha sogra das dores que ela sentia pelo corpo”.



Dr Luiz Moura

7 comentários:

Anônimo disse...

Olá Vanessa.
Fico feliz em saber que tiveste uma cura real e total de seu problema com a herpes nos olhos (ou no olho).
Quería lhe comentar o seguinte:
Você por acaso já soube da aplicaçao da AHT substituindo o sangue por Urina?
Conheçe alguém que faz ou fez?
Se quiser responder em privado para nao distorcer o motivo principal do blog, entao escreva para o seguinte correio:
laslenas@adsl.tie.cl
Meu nome é Hassin Ghannam.
Muito obrigado e muita saúde em sua vida.

Evaristo disse...

Vanessa, o que aconteceu com vc. está acontecendo com milhares de pessoas no Brasil e no mundo. A AHT é um recurso terapêutico de baixíssimo custo, mas com um espectro muito largo de eficácia contra um grande número de doenças, principalmente as de fundo alérgico, infecções e as auto-imunes. Entretanto, quero alertar para o fato de que a AHT nada tem a ver com a Urinoterapia. A princípio, pode-se pensar que os princípios que regem ambas são os mesmos, já que se reintroduz no paciente um líquido corporal. Mas, a diferença entre as duas estratégias é gritante: a urina representa a eliminação de substâncias nocivas ao organismo, as quais o próprio corpo elimina, enquanto o sangue é o justo contrário disso, pois significa a própria vida pulsando em nossas artérias e veias. Assim, é bom não confundir as duas terapias. A AHT jamais teve, mesmo historicamente, nenhum ponto de contato com a Urinoterapia.
Abraços
Evaristo

Anônimo disse...

Estimado Evaristo, esta mensagem é para você.
Se você conseguir me provar cientificamente, que a urina é o que disse ser: a urina representa a eliminação de substâncias nocivas ao organismo...

E provar isso de forma contundente, então eu daria um voto de confiança á sua alegação.
Acredito que você está expondo demasiada a sua credibilidade, e pode com isso estar se superestimando.

Saiba mais sobre a urina, e verá que ela é mais limpa que o sangue que jorra nas veias.

O sangue que jorra nas veias, pode estar contaminado com vírus e bactérias de qualquer espécie. A prova cabal disso é que uma pessoa contaminada com o vírus da AIDS, da malária, e etc., possuem este vírus pulsando nas artérias e veias. Na urina jamais encontrarás estes vírus.
Por favor, Evaristo, estude mais o assunto antes de subestimar tratamentos que o senhor não possui a profundidade para dar certos conselhos.
Assim como o senhor, eu não sou médico, apesar de ter cursado quase 2 anos de medicina na Faculdade de Mogi Das Cruzes.
Sobre a UT eu a tenho estudado profundamente, portanto posso falar com autoridade.
Acredito que o senhor é um tanto impulsivo, e isso não é muito bom para quem defende uma tese.

Atte.

Hassin Ghannnam

Evaristo disse...

Caro Hassin
Respeito sua posição quanto ao valor da urina, embora não concorde com ela nem parta do princípio de que vc. conheça menos ou mais as coisas do que eu. Tais comparações desviam a essência do debate para a esfera pessoal, e isso não contribui para a compreensão do que estamos discutindo. Não disponho no momento de tempo para me estender, mas quero apenas repetir que a Urinoterapia é uma coisa e a AHT é outra coisa. São princípios opostos. Se a urina tem valor e deve ser reintroduzida, porque o organismo possui todo um mecanismo para eliminá-la? O mesmo acontece com as fezes...
Evaristo

Anônimo disse...

Estimado Evaristo,

Agradeço vossa resposta de forma educada.

Caro amigo, eu desejo apenas que você não repita o erro da Anvisa e dos médicos que negam a AHT, pois dessa forma, vós está sendo tão radical quanto eles.

Negar a AHT sabendo que milhares de pessoas estão sendo beneficiadas por ela é um erro grotesco, assim como negar a UT sabendo que milhares de pessoas praticam essa terapia com 100% de resultados positivos para a sua saúde, também é um erro.

Não irei explicar a você de forma cientifica o valor da urina para a nossa a saúde e nem mesmo do por que ela é eliminada do nosso corpo sabiamente em pequenas quantidades através da nossa bexiga, pois considerando que o amigo é um estudioso sério, deixarei em aberto esta possibilidade para que possas realizar um estudo profundo desta terapia e assim julgares por si próprio os benefícios que ela pode entregar a nossa saúde.

Da minha parte posso lhe garantir que a UT simultaneamente com a AHT ou de forma simbiôntica, produz efeitos notáveis e salutares a nossa saúde, e digo isso por experiência própria.

Minha real intenção é seguir descobrindo terapias naturais que possam beneficiar os nossos semelhantes com custo quase zero, de maneira a atender as pessoas menos favorecidas financeiramente.
De maneira que sou cobaia de minhas experiências no qual aponto diariamente em meu caderno de estudos; se no futuro estas experiências chegarem a contribuir para ajudar uma pessoa com problemas sérios, então terá valido a pena os meus esforços.

Desejo-lhe um ótimo dia.

Cordialmente.

Hassin Ghannam

PS.: Caso o amigo deseje, pode escrever diretamente para o meu correio particular: hassin@adsl.tie.cl

Evaristo disse...

Caro Hassin
Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. O fato de eu não reconhecer a Urinoterapia como prática terapêutica válida nada tem a ver com o não reconhecimento da comprovada eficácia AHT por parte dos órgãos oficiais da Medicina, pois ele se deve a questões de natureza financeira, isto é, a fatia que os grandes laboratórios perdem quando deixam de vender remédios. Estamos, pois, falando de coisas diferentes.
Evaristo

Anônimo disse...

A Auto-Hemoterapia Foi Criada Por Médicos, Receitada Por Médicos, De Domínio Dos Médicos, Até A Invenção Da Seringa Descartável, E Desconhecida Do Grande Público, Até Sua Disseminação Pela Internet...
Enquanto Era De Domínio Dos Médicos, Desconhecida, Tudo Bem, Não Era Inconveniente, Prejudicial, Nociva E Outras Balelas Delirantes Com Que Tentam Amedrontar Os Que Dela Tomam Conhecimento. (Posto Que Quem A Pratica, Nunca Viu Estas Terríveis Ameaças) ...
Mas Quando Se Tornou Fácil De Fazer (Seringa Descartável) E Pública (Foi Parar Na Internet), Aí Virou A Vilã Da Vez, As Autoridades "Descobriram" A Ah E Seus Malefícios Sombrios...
As Autoridades Sanitárias Da Alemanha Devem Ser Muito Relapsas Por Ainda Não A Terem Proibido Lá Também... (Na Alemanha A Ah É Praticada Há Mais De 75 Anos)
Representantes De Órgãos De Fiscalização Do Brasil Foram A Público E, "Chutando O Pau Da Barraca" Da Ética, Sem Qualquer Prova, Avacalharam E Desmoralizaram Um Colega (Dr. Luiz Moura) De Forma Direta, E A Todos Os Outros Médicos Que A Prescreviam, Por Tabela, Sem Qualquer Pudor Ou Consideração... Acusaram, Inclusive, O Pobre De Lucrar Com A Pirataria, Com A Venda Do Dvd Com Sua Entrevista, Apesar De Ser Distribuído Entre Usuários, Já Estar Na Internet, De Graça, Por Obra Dos Repórteres Que A Produziram...
OLIVARES ROCHA